A Ilha do Pico é a ilha cinzenta, faz parte do grupo central, e é onde está a montanha mais alta de Portugal. Por sua vez, o Pico é um vulcão adormecido. Esta é terra de baleeiros, agricultores e pescadores.

A Ilha do Pico é ideal para os amantes de natureza. Subir ao ponto mais alto do arquipélago e de Portugal é a experiência de uma vida a não perder. É considerado um dos vulcões mais bonitos do mundo inteiro. Quem gosta de escalada vai certamente aceitar o desafio de bom grado e sem hesitar. Após a subida, espera-o uma vista assombrosa sobre as nuvens e ilha do Pico.

Não perca a oportunidade de conhecer a paisagem da cultura da vinha da ilha. Aqui as vinhas desenvolvem-se por entre por paredes de pedra solta, chamadas curraletas. A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico é desde 2004 património mundial da humanidade classificado pela UNESCO, englobando os sítios do Lajido da Criação Velha e do Lajido de Santa Luzia. Está tudo explicado no Museu do Vinho, no antigo Convento das Carmelitas da Madalena, onde se comemora, em Setembro, a Festa das Vindimas.

 

 

Uma das paisagens vulcânicas mais únicas e características da Ilha do Pico são os chamados lajidos. Constituem-se como campos de escoadas lávicas basálticas fluidas.

Uma das principais atrações turística é a Gruta das Torres. É o maior túnel vulcânico do arquipélago.

Toda a ilha é uma descoberta infindável de lagoas, cones vulcânicos e bosques, principalmente na maciço oposto ao Pico Alto, na zona oriental.

A Ilha do Pico é também a ilha ideal para a observação de pássaros, baleias e golfinhos. Sem descurar a pesca e os trilhos a desvendar em moto-quatro. Mas o destaque da ilha vai para a espeleologia, um prazer a descobrir e a experimentar no Pico.